VEGANISMO: receita versátil para almôndega, hambúrguer e bolinhos

O veganismo tem atraído cada vez mais interessados, principalmente, entre os jovens.

São pessoas que tem despertado para os problemas que o excesso de consumo de produtos animais pode causar ao meio-ambiente e a própria saúde.

Um dos motivos seria a maior divulgação de informações pela internet e, é claro, pelas facilidades em adotar estilo de vida, com o crescimento de produtos veganos disponíveis no mercado.

Nessa semana, eu conversei com uma pessoa que tem ajudado a difundir o estilo de vida vegano na internet, a chef autodidata de alimentação natural vegana Clau Berrocoso. ( e ainda teve receita de almôndegas  e hambúrguer vegano no final da conversa, que eu coloquei no vídeo logo abaixo).

Clau é praticante de yoga e em busca de um estilo de vida mais natural e sustentável, encontrou na alimentação um grande potencial de transformação de mundo.

Deixou a odontologia para se dedicar ao Consciência Viva, em que oferece cursos e consultorias para ensinar a alimentação e culinária consciente baseada em vegetais – mundialmente conhecida como Plant Based.

 

 

 

Confira a entrevista:

Quais os benefícios de escolher uma forma mais natural de se alimentar?

A alimentação natural é uma alimentação desintoxicante e quanto mais desintoxicados nós estamos, mais despertos ficamos e consequentemente, vivemos mais em harmonia.

O corpo humano foi projetado para se alimentar de vegetais, frutas, alimentos puros.[Todas as nossas características biológicas estão muito mais para animais herbívoros e frugívoros do que para carnívoros.] O fato de você conseguir digerir, não significa que um alimento é bom para vc. Prova disso são os refrigerantes, o cigarro e outras drogas. Portanto, se você fornecer ao seu corpo os alimentos ideais a ele, isso não significará apenas ausência de doenças mas também um melhor desempenho, uma melhor digestão, boa disposição, mais energia e uma melhor capacidade mental.

 

 Como você escolhe seus alimentos?

Normalmente, eu uso três filtros para escolher os alimentos. Eu sempre observo qual o processo que aquele alimento passou até chegar a mim, se tiver alguém que foi prejudicado no processo, não serve como alimento para mim. Eu também percebo se aquele alimento vai fazer bem para o meu corpo e quais benefícios ele vai me trazer. E, por fim, eu percebo muito a natureza. Alimentos que a natureza dá com mais abundância em determinados momentos são os mais ideais de serem consumidos. É interessante prestar atenção aos outros animais, também. Por exemplo, faz sentido o leite de outra espécie ser importante? Nenhum mamífero mama a vida inteira, muito menos o leite de uma outra espécie. O leite importante para nós é o leite das nossas mães no período de lactação.

Eu sempre gosto de escolher alimentos que não precisam de embalagens. Os melhores alimentos não têm rótulos. Mas quando eu compro alimentos industrializados, fico atenta aos ingredientes presentes no rótulo. É preciso evitar ao máximo os ingredientes como corantes, acidulantes, aromatizantes, espessantes… O nosso corpo não reconhece esses ingredientes como alimentos e se transformam em resíduos tóxicos no nosso organismo.

Além disso, sempre coloco no cardápio probióticos, porque um intestino saudável é muito importante para nossa saúde mental. Eu gosto de kombuchas, rejuvelac, kefir ou alimentos fermentados, que tem essa função.

 

 

 Você não sente falta da sua antiga alimentação?

Nós geralmente não sentimos falta de um ingrediente em si, nós sentimos falta do contexto, de um prato que nos remete a uma lembrança emocional positiva.

Com o tempo você vai entendendo melhor quais as possibilidades e as melhores substituições. Por exemplo, quando der vontade de comer o estrogonofe que você tanto amava na infância, daquele quibe com coalhada ou um hambúrguer, basta trocar alguns ingredientes e fazer o mesmo prato de uma forma diferente.

 

Como faz as substituições?

Eu não gosto de consumir sal refinado. Por isso, sempre substituo por sais grossos e mais puros. É possível comprar grosso e bater no liquidificador da sua casa. Ele se transforma em um sal fininho, que não precisou passar por um processo industrial, receber aditivos químicos para torná-lo mais soltinho, mais branquinho…

O mesmo vale para o açúcar – os melhores açúcares são aqueles que a natureza te dá de forma balanceada dentro do alimento- como é a caso das frutas. Se precisar de um açúcar mais concentrado, utilize as frutas secas ou outros açúcares mais integrais como açúcar do coco, melado, stevia…

Eu também eliminei o óleo refinado, trocando por outros óleos prensados a frio como coco, linhaça, azeite, gergelim. Mas sem exageros!

Já as farinhas, eu troquei a farinha de trigo comum por outras farinhas mais integrais como de grão de bico, arroz, amêndoas, ou até mesmo os grãos processados.

Para substituir o leite, eu optei pelos leites vegetais. Leite de coco, amêndoas, castanhas, arroz, aveia.

 

Você faz rituais ou práticas desintoxicantes na sua rotina?

Eu costumo fazer o jejum matinal ou jejum líquido matinal. No período da manhã, nosso corpo está focado na desintoxicação, por isso eu gosto de ficar em jejum ou apenas ingerir sucos e chás desintoxicantes…

Considero o suco verde uma super porta de entrada para uma alimentação mais vitalizante e desintoxicante. Ele auxilia o organismo a se limpar no período da manhã.

Também faço atividades físicas pela manhã para melhorar esse processo de desintoxicação.

Outra coisa que faz parte do ritual é a meditação, que pode ser ativa, simplesmente, focando no momento presente. Eu ainda tento estar mais perto da natureza como parte desse ritual matinal.

 

Alguma dica para facilitar o processo?

A organização ajuda muito. Mantenha na sua geladeira as folhas já lavadas, tenha pastinhas e creminhos fermentados na geladeira como o de castanhas, pesto ou hommus. Tenha sempre alguma semente ou grão em demolho ou germinando. Vale ainda deixar coisas prontas quando tiver mais tempo, assim não corre o risco de escolher um alimento ruim quando a fome bater.

 

Quais recomendações você daria para quem gostaria de praticar uma alimentação mais consciente?

O primeiro passo é entender que nada que faça mal para a nossa saúde, o meio ambiente e a vida animal pode fazer bem. Correto?

Depois que você estiver consciente desse equilíbrio, é importante buscar informações sobre o assunto. Minhas indicações são os documentários  “What The Health” sobre saúde, “Cowspiracy” sobre o impacto ambiental da agropecuária e “Dominion” sobre exploração animal.

Também acho importante a pessoa ter certeza da sua MOTIVAÇÃO. É muito importante você entender qual é a sua principal motivação para q ela seja o seu principal gatilho nessa mudança. Pra mim foi a proteção animal, mas cada um tem seu motivo para a mudança.

A partir daí é fazer as escolhas dos seus novos hábitos, crenças, atitudes e consumo.

 

Qual a dica que dá para as pessoas que acham a alimentação consciente e natural mais cara e trabalhosa?

A alimentação consciente pode ser simples, barata, prática. Depende das suas escolhas.

A alimentação consciente é a alimentação a base de vegetais, simples assim. E quanto mais natural e menos processada for sua escolha, melhor para você e melhor para o seu bolso.

O que são mais caros são os produtos industrializados porque ainda não são produzidos em larga escala.

Outra coisa que muitos reclamam é sobre o custo das castanhas, sementes… Porém muitos esquecem o quanto deixam de gastar com outras coisas. Além disso, hoje em dia existem muitas formas mais acessíveis para comprar esses itens. Através da internet é possível pesquisar preço e comprar de regiões onde o valor é mais baixo, formar grupos de compras coletivas, etc…

Em resumo, coma comida de verdade e minimamente processada dentro da sua ética e dos seus princípios. Essa deve ser a sua base, confiando sempre na natureza e naquilo que ela nos dá de forma espontânea.

A natureza é perfeita e nós precisamos de muito menos do q é falado por aí. Fica tranquilo.

 

A Clau ainda preparou uma receita deliciosa que está nesse vídeo. Para quem quiser repetir a receita em casa, seguem os ingredientes e modo de preparo:

 

BOLINHO DE LENTILHA COM MAIONESE DE CASTANHA

 

INGREDIENTES

1 xícara de lentilha cozida

2 colheres de farinha de mandioca

1 colheres de farinha de linhaça

1/2 cebola

1 dente de alho

2 colheres de azeite

Sal

Pimenta do reino

Sugestão: 1 colheres de sementes de girassol

 

MODO DE PREPARO

Processar todos os ingredientes,

Modelar com as mãos untadas de azeite,

Colocar em uma forma untada e levar ao forno médio até dourar (cerca de 15 minutos).

Opcional: Empanar em farinha de linhaça ou flocos de amaranto

 

PARA A MAIONESE:

 

INGREDIENTES

1 xícara de castanha de caju crua, que ficou em molho por 8 horas.

Suco de 1/2 limão

3 colheres de azeite

Cerca de 1/4 xícara de água

Sal

Temperos de sua preferência (alho, salsinha, cebolinha, azeitona, manjericão, coentro)

 

MODO DE PREPARO

Bata todos os ingredientes no liquidificador,  adicionando água até ficar um creme bem lisinho.

 

 

Post Autor
Mirella Bergamo
Mirella Bergamo é jornalista, apresentadora e produtora de conteúdo digital. Depois de sofrer com a Síndrome de Burnout ( grave esgotamento físico e mental) decidiu começar uma trajetória de mudança de vida, com foco no autoconhecimento e saúde integral. Suas experiências e o desejo de inspirar outras pessoas deram origem ao Eu Melhor.

MENSAGEM

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga o Eu Melhor no Instagram

O Eu Melhor também está no Instagram!
Desenvolvedor Web - Relbert Ribeiro